ArteSó o creme

Madonna 1 x Le Pen 0

By July 15, 2012 One Comment

Oi, sou de um tempo em que Madonna encenar masturbação em show era novidade. E para falar de algo ainda mais antigo, sou de um tempo em que Madonna era meio Justin Bieber, aquela pessoa por quem todas as mocinhas de 12 anos choram e se descabelam. (…) Tá bom, vou confessar: sou de um tempo em que ninguém suspeitaria que Madonna seria Madonna. Bem, pelo menos os menos atentos. Ela era só mais uma que rivalizava com a ídala maior… Qual era mesmo o nome dela? Ah, é mesmo… Cindy Lauper!
Até que um dia ela se vestiu de noiva, alugou uma gôndola e fez Like a Virgin. Logo depois Material Girl. O resto história da música pop. Até que um dia ela gravou Ray of Light e perdi todo interesse. Bem, digamos que já passei há décadas dos meus 12 anos e mesmo as maiores peripécias musicais e teatrais não me fizeram retomar o interesse pela cantora. Um ou dois shows vistos com um grande amigo que apesar de (quase) tudo, se mantém fiel. Mas como Madonna é Madonna, sempre é bom ficar de olho. Sempre.
Dessa vez a jovem senhora, cuja biografia é um manifesto ambulante (ultimamente namora um jovem negro lindo, bem ao estilo de O medo devaora a alma, Fassbinder, 1974,) mirou seus esforços contra a nova extrema direita francesa. Nesse momento estou escrevendo e aplaudindo de pé, claro. É que em show recente, a eterna bombshell exibiu imagens de Marine Le Pen sobreposta por uma suástica. Mexeu com a pessoa certa e está causando como nos velhos tempos.
Em reposta, Marine Le Pen falou em processo e chamou Madonna de uma cantora velha o que diz absolutamente nada sobre a cantora mas revela litros a propósito da francesa, bobinha. Mas não somente. É trsite pensar que o partido de Le Pen, Frente Nacional, tem ganhado o eleitorado francês com seus posicionamentos polêmicos (para não dizer outra coisa) como o combate à uma suposta “islamização” do país e defesa de políticas protecionistas. Chuif.

Charô Nunes

Esses são textos de Charô Nunes, publicados em diversos blogs desde 2008, quando se inicia sua trajetória rumo à escrita e à intelectualidade. Alguns são textos inacabados, que serão publicados sem qualquer revisão ou adição.

One Comment

  • E. Cohen says:

    Você sabe que não sou o mais politizado, mas é bom saber com que a Tia anda mexendo porque isso é mais uma pista que esse show recente é quase que um reloaded (melhor feitinho) do que era bom na época de ouro dela.
    Beijos!

Leave a Reply