Charô Nunes – Dia da Consciência Negra

Quem conta a história de Charô Nunes, a co-coordenadora do blog colaborativo, é Vilma Reis, outra referência nacional na luta antirracista e contra o genocídio da juventude negra. No Dia da Consciência Negra, exaltamos mulheres cuja existência, atuação e história ajudam a construir a sociedade justa e equânime que queremos – mas o chamado para a responsabilidade e comprometimento de todos nós é diário.
0 Shares
0
0
0

Originalmente publicado por Brazil Foundation no Facebook em 20/11/2019.

Mulheres Notáveis 2019.

A escrita como uma ferramenta de luta por igualdade racial. O Blogueiras Negras é uma plataforma de publicação coletiva que reúne mais de 400 autoras debatendo gênero e raça. Quem conta a história de Charô Nunes, a co-coordenadora do blog colaborativo, é Vilma Reis, outra referência nacional na luta antirracista e contra o genocídio da juventude negra. No Dia da Consciência Negra, exaltamos mulheres cuja existência, atuação e história ajudam a construir a sociedade justa e equânime que queremos – mas o chamado para a responsabilidade e comprometimento de todos nós é diário.
*
Writing as a tool to fight for racial equality. Blogueiras Negras is a platform that publishes content from more than 400 women that debates gender and race. Here Vilma Reis, a national reference in the anti-racism struggle and in the fight against the genocide of black youth, speaks about Charô Nunes, co-coordinator for Blogueiras Negras. This Black Consciousness Day, we are recognizing women whose lives, work and stories are helping to build the just and equitable society that we wish for – despite our responsibility to commit to this everyday.

0 Shares
You May Also Like

Se essa rua fosse minha. Morte e morte nas grandes cidades.

A calçada por si só não é nada. É uma abstração. Ela só significa alguma coisa junto com os edifícios e os outros usos limítrofes a ela ou a calçadas próximas. Pode-se dizer o mesmo das ruas, no sentido de servirem a outros fins, além de suportar o trânsito sobre rodas em seu leito. As ruas e suas calçadas, principais locais públicos de uma cidade, são seus órgãos mais vitais. Ao pensar numa cidade, o que lhe vem à cabeça?

Até o ano que vem, Latinidades!

Até o ano que vem, Latinidades! Que mais uma vez será de arrepiar com o tema Cinema Negro: "Queremos discutir o papel da mulher negra nessa cadeia cinematográfica, o seu protagonismo na produção e também como atriz.

Talvez a humanóide Ameca seja um alerta. Sobre nós.

O que vai acontecer quando Ameca se tornar capaz de passar tranquilamente por um ser humano? Afinal o que faremos quando aqueles que nos servem passarem a servir a seus próprios interesses? Talvez Ameca seja um alerta de que muito brevemente a Skynet despertará de seu sono. Não se trata da revolução de robôs, mas sobre o que faremos quando ela acontecer.

Je suis desolée Moïse Mugenyi Kabagambe

"Olha a foto do meu filho, meu bebezinho. Era um menino bom. Era um menino bom. Era um menino bom. Eles quebraram o meu filho. Bateram nas costas, no rosto. Ó, meu Deus. Ele não merecia isso. Eles pegaram uma linha (uma corda), colocaram o meu filho no chão, o puxaram com uma corda. Por quê? Por que ele era pretinho? Negro? Eles mataram o meu filho porque ele era negro, porque era africano.", disse sua mãe.