Aquela nuvem…

Depois que aquela nuvem desceu sobre seus olhos. Nada mais importava.
0 Shares
0
0
0

Depois que aquela nuvem desceu sobre seus olhos. Nada mais importava.

A filha, que ficaria adeus dará. Possivelmente enlouquecida pela loucura de quem anda sem destino e sem consciência. De que é capazes de levantar uma faca para qualquer um que se coloque em sua frente, mesmo para quem mais ama. De quem bebe e fuma o dia todo, sem se preocupar com quem chega e com quem vai. O marido, que se casasse de novo. Já não sentia mais ciúmes da futura mulher com quem ele se casaria depois que ela morresse. Fosse branca ou preta, se lhe daria mais ou menos amor, nada lhe competia. Nem que a levasse até Paris… Mesmo ao Louvre para ver as mais belas obras do Egito Antigo. Sabia que seus pais morreriam tão logo. Quem sabe assim, se houvesse algum céu poderiam se encontrar. Mesmo que não acreditasse em nada disso. Todos haveriam de morrer, ficaria a carne, mais ou menos dia. Dos poucos amigos, não lembrou nenhum. Mesmo aquele que sempre foi um dos maiores amores de sua vida. Sem forças, conseguiu chegar até o ponto do busão, destino Paulista. Escolheu na parte mais alta da cidade o prédio mais alto dos primeiros quarteirões. Subiu até o último andar e procurou uma janela aberta, a rota de fuga mais importante de sua vida. Olhou para baixo e se lembrou de todas as imagens que viu naquela semana, ao pesquisar como seria. Hesitou ao olhar as formas de concreto tão concretas em sua volta e sentir o vento nas fuças. Ficou se perguntando se seria possível fazer o tempo correr ao contrário, de baixo para cima. Deu para trás. E desde então continua sentada debaixo daquela árvore pequena, que fica bem ali.

Foi aquela mesma nuvem que desceu sobre seus olhos naquele dia….

Que hoje fez chover aqui.

0 Shares
You May Also Like

Se essa rua fosse minha. Morte e morte nas grandes cidades.

A calçada por si só não é nada. É uma abstração. Ela só significa alguma coisa junto com os edifícios e os outros usos limítrofes a ela ou a calçadas próximas. Pode-se dizer o mesmo das ruas, no sentido de servirem a outros fins, além de suportar o trânsito sobre rodas em seu leito. As ruas e suas calçadas, principais locais públicos de uma cidade, são seus órgãos mais vitais. Ao pensar numa cidade, o que lhe vem à cabeça?

Até o ano que vem, Latinidades!

Até o ano que vem, Latinidades! Que mais uma vez será de arrepiar com o tema Cinema Negro: "Queremos discutir o papel da mulher negra nessa cadeia cinematográfica, o seu protagonismo na produção e também como atriz.

Talvez a humanóide Ameca seja um alerta. Sobre nós.

O que vai acontecer quando Ameca se tornar capaz de passar tranquilamente por um ser humano? Afinal o que faremos quando aqueles que nos servem passarem a servir a seus próprios interesses? Talvez Ameca seja um alerta de que muito brevemente a Skynet despertará de seu sono. Não se trata da revolução de robôs, mas sobre o que faremos quando ela acontecer.

Je suis desolée Moïse Mugenyi Kabagambe

"Olha a foto do meu filho, meu bebezinho. Era um menino bom. Era um menino bom. Era um menino bom. Eles quebraram o meu filho. Bateram nas costas, no rosto. Ó, meu Deus. Ele não merecia isso. Eles pegaram uma linha (uma corda), colocaram o meu filho no chão, o puxaram com uma corda. Por quê? Por que ele era pretinho? Negro? Eles mataram o meu filho porque ele era negro, porque era africano.", disse sua mãe.